Página inicial Santa Ana - Itaúna

Novena e Festa de Sant'Ana, em Itaúna

Sábado, 25 de julho de 2015 às 15h 00  - Atualizado às 10h 13

A Festa de Sant’ana acontece, ininterruptamente,  desde o ano de 1841 nestas barrancas do rio São João; portanto  há 174 anos!


No período de 1750 até 1841, o arraial de Sant’Ana do rio São João Acima foi um Curato ( circunscrição eclesiástica administrada por um capelão) , sendo uma  capela filial subordinada à Matriz de Nossa Senhora do Pilar de Pitangui. No Livro de Provisões da Câmara Episcopal  de Mariana (sede do bispado a que pertencia nossas terras)   encontra-se o documento que elevou o Curato  de Sant’Ana à categoria de Paróquia pela Lei nº  209, de 07 de abril de 1841, desmembrada de Pitangui e, como tal, declarada pelo  Presidente da Província de Minas ( hoje cargo de governador) Marechal Sebastião Barreto Pereira Pinto.


Porém, a devoção à Mãe de Nossa Senhora é ainda mais antiga nestas terras. A veneranda imagem de Sant’ana, entalhada em cedro e com douramentos barrocos, que se encontra hoje  na púlpito da Igreja Matriz, aqui chegou no longínquo ano de 1735; oriunda da cidade de Setúbal, Portugal; o que nos reporta a uma antiguidade de 280 anos!
Sant’ana foi reconhecida  oficialmente como  Padroeira de Itaúna, através de uma Bula do Papa João XXIII, no ano de 1961.


Santa Ana ou Sant'Ana (do latim Anna, por sua vez do hebraico transliterado Hannah, "Graça") foi mãe de Maria, avó materna de Jesus Cristo. Os dados biográficos  que sabemos sobre os pais de Nossa Senhora  foram legados pelo Proto-Evangelho de Tiago ( um dos chamados Evangelhos Apócrifos)  obra citada em diversos estudos dos padres da Igreja Oriental, como Epifânio e Gregório de Nissa.


Sant'Ana, pertencia à família do sacerdote Aarão e seu marido, São Joaquim, pertencia à família real de Davi.


Seu marido,  Joaquim, homem piedoso,  fora censurado pelo sacerdote Rúben por não ter filhos. Mas Ana já era idosa e estéril. Confiando no poder divino,  Joaquim retirou-se ao deserto para rezar e fazer penitência. Ali um anjo do Senhor lhe apareceu, dizendo que Deus havia ouvido suas preces. Tendo voltado ao lar, algum tempo depois Ana ficou grávida. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha aquela que havia de ser a Mãe do Salvador.


Eram residentes em Jerusalém, ao lado da piscina de Betesda, onde, hoje, se ergue a Basílica de Santana; e aí, num sábado, 8 de setembro do ano 20 a.C., nasceu-lhes uma filha que recebeu o nome de Miriam, que em hebraico significa "Senhora da Luz", passado para o latim como Maria. Maria foi oferecida ao Templo de Jerusalém aos três anos, tendo lá permanecido até os doze anos.


A devoção aos pais de Nossa Senhora  é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos de nossa era, atingindo sua plenitude no século VI. Já no Ocidente, o culto de Santana remonta ao século VIII.


Seu culto foi tornando-se muito popular na Idade Média, especialmente na Alemanha. Em 1378, o Papa Urbano IV oficializou seu culto . Em 1584, o Papa Gregório XIII fixou a data da festa de Sant’Ana em 26 de Julho, e o Papa Leão XIII a estendeu para toda a Igreja, em 1879.


Tendo sido São Joaquim comemorado, inicialmente, em dia diverso ao de Sant’Ana, o Papa Paulo VI associou num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Maria, mãe de Jesus. Assim sendo, no dia 26 de Julho comemora-se também o Dia dos Avós.


Em nossa cidade de Itaúna, Sant’ana ocupa um lugar de grande honra e destaque. Afinal, “foi Sant'Ana de São João Acima /desta forma criada em Gerais”. Nosso gentílico primitivo era santanense; ou seja, aquele nascido em Sant’ana do Rio São João Acima.


A Paróquia de Sant’ana data portanto de  1841. O município de Itaúna foi emancipado somente 60 anos depois, em 16 de setembro de 1901. ITAÚNA nasceu à sombra da Capela de Sant’ana. ITAÚNA é filha da Paróquia de Sant’ana!


Com relação à santa padroeira, quem são os santos afinal? Os santos são a Glória de Deus. Porém, somente Deus é Santo! Três vezes santos! E então?


Explicando: nós, católicos,  professamos publicamente a Fé em Jesus Cristo, nosso único Senhor e Redentor da Humanidade. A santidade dos santos provém de Deus. Da Santíssima Trindade. Os santos são modelos de homens e mulheres que viveram a Palavra e amaram ao Senhor Jesus com suas Vidas!


A Igreja, como Mãe e Mestra, nos ensina: os santos não salvam ninguém! Nossa Senhora não salva ninguém! E Nossa Senhora tem poucas falas registradas na Bíblia; e  uma delas é:  “Fazei tudo o que Ele vos disser” ( Jo2, 1-9), ou seja, ela pede de nós que façamos a vontade de seu Filho Jesus Cristo, pois Ele é o nosso Salvador! E fazer a vontade de Jesus é acolher a sua Palavra e vivê-la em nosso cotidiano!  E para com Maria – Nossa Senhora -  nós católicos temos um grande amor filial!


A Doutrina Católica se assenta na Bíblia e na Tradição da Igreja; Tradição aqui entendida como aquilo que foi transmitido desde o tempo dos  Apóstolos. Os santos e Nossa Senhora são caminhos que nos apontam, que nos levam  para Nosso Senhor Jesus Cristo!


Para nos católicos, após a Festa da Páscoa,   a maior das solenidades  é a do  padroeiro. O  novenário  é um verdadeiro kairós, ou seja,  um tempo forte e propício à oração e a escuta da Palavra de Deus. A Festa de Sant’ana tem um direcionamento: JESUS CRISTO! Celebramos Sant’ana, porém, com olhos e corações voltados para o seu neto: Nosso Senhor Jesus Cristo! Ouvir sua Palavra, conhecer sua Mensagem, aceitar seu Senhorio em nossas Vidas e torná-lo conhecido no mundo! A missão é a constante e perene EVANGELIZAÇÃO DOS POVOS!


A  todos nós é extensivo  o convite: “Achegai-vos a Ele ( Jesus) pedra viva que os homens rejeitaram, mas escolhida e preciosa aos olhos de Deus; e quais outras pedras vivas, vós também vos tornais os materiais deste edifício espiritual, um sacerdócio santo, para oferecer vítimas espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.” (1 Pedro 2, 4,5)

 

Confira a programação da Novena e Festa de Sant'Ana:

 

17/07 | sexta-feira

Abertura

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Francisco Cota

 

 

18/07 | sábado

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Antônio Carlos.

 

 

19/07 | Domingo

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Philipe.

 

 

20/07 | segunda-feira

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Chrystian Shankar.

 

 

21/07 | terça-feira

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Guilherme.

 

 

22/07 | quarta-feira

19h: Santa Missa presidida pelo Padre José Geraldo Flores.

 

 

23/07 | quinta-feira

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Leonardo Moisés.

 

 

24/07 | sexta-feira

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Amarildo.

 

 

25/07 | sábado

19h: Santa Missa presidida pelo Padre Rodrigo Botelho.

 

 

26/07 | domingo

Dia de Sant'Ana

7h: Santa Missa presidida pelo Padre Giovanni Van de Laar.

10h: Santa Missa presidida pelo Padre Adriano Bolognani.

17h: Procissão com a imagem de Sant'Ana. Após procissão, solene Celebração Eucarística presidida pelo Padre Francisco Cota e concelebrada pelos padres Everaldo, Joaquim e Nilo.