Recomendações do Bispo: Precisamos recuperar a centralidade do querigma

Irmãos e irmãs, precisamos recuperar, a cada tempo de nossa Igreja, a centralidade do querigma, a necessidade da mistagogia e do mistério, a experiência espiritual profunda e sadia, a fé cristocêntica e trinitária. Nossa pregação não pode esquecer, ofuscar ou manipular Jesus Cristo. Ele é o alvo, o consumador da nossa fé. Se tivermos de falar da história, da sociedade, da política, das eleições, dos sistemas econômicos, dos governos, da própria Igreja, precisamos ter sempre presente, como pano de fundo e como luz do cenário, da reflexão e da crítica, a pessoa de Jesus, seu Evangelho, seu Reino. Senão seremos pregadores de ideologias intramundanas e imanentes, históricas e humanistas. (da homilia da Missa Crismal de 2018)

Publicidade